Desenhos e Caricaturas de Amadeo de Souza-Cardoso | Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo

Inaugurou no passado Sábado, dia 24 de Abril, a exposição Desenhos e Caricaturas de Amadeo de Souza-Cardoso, na Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo, em Vila Nova de Gaia. Esta mostra tem curadoria de Catarina Alfaro e representa uma parceria entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante.

Amadeo de Souza Cardoso, Retrato Paysagem, grafite sobre papel, c. 1912-1913. FCG-CAM.

Amadeo de Souza-Cardoso no seu atelier em Paris, c. 1912-1913.

Amadeo Ferreira de Souza-Cardoso (Manhufe, 14 de Novembro de 1887 – Espinho, 25 de Outubro de 1918) começa o seu percurso artístico quando, em 1905, ingressa no curso de Arquitectura na Academia de Belas-Artes de Lisboa, estudos esses que, em 1906 o levam a Paris para frequentar a École des Beaux-Arts. É ainda em Lisboa que começa a desenvolver-se enquanto desenhador e caricaturista, com obras que começam por representar estereótipos sociais, significativos da sua vivência burguesa entre Espinho (onde passava as férias de Verão), Porto, Lisboa e Paris. Acreditava que este tipo de trabalhos poderiam ser a sua fonte de rendimento, mas só conseguiu alcançar a divulgação em alguns jornais portugueses.

Em 1907, decide abandonar o curso de Arquitectura para se dedicar a tempo inteiro à Pintura, já bastante consciente do mundo artístico que o rodeia, bem como das suas constantes alterações e inovações. É em Paris que tem contacto com os movimentos que se foram estabelecendo na Arte Ocidental e, claro está, com os artistas que deles fizeram parte, como é o caso de Constantin Brâncuși (1876-1957), Robert e Sonia Delaunay (1885-1941 e 1885-1979) e Amadeo Modigliani (1884-1920).

Apesar de um período produtivo de apenas 14 anos (entre 1904 e 1918), Amadeo utilizou e experimentou várias técnicas, desde o Cubismo, o Futurismo, o Orfismo e o Expressionismo, algo que culminou num total de cerca de 550 obras. A sua rapidez de experimentação permitiu-lhe participar nas revoluções estéticas que acompanharam o seu tempo, nunca privilegiando uma em detrimento da outra. Souza-Cardoso queria experimentar e ir mais além sempre que possível, era esse o seu objectivo: superar-se a si mesmo.

Esquerda: Amadeo de Souza-Cardoso, Retrato de Eduardo Viana, grafite sobre papel, 1912, FCG-CAM.
Direita: Amadeo de Souza-Cardoso, Retrato do Dr. Pallazzoli, grafite sobre papel, 1913, FCG-CAM.

Esquerda: Amadeo de Souza-Cardoso, Caricatura de senhora vestida de azul, grafite e aguarela sobre papel, 1907, MMASC.
Direita: Amadeo de Souza-Cardoso, Caricatura de Gouveia Pinto, aguarela, grafite e tinta da china s/ papel, c. 1906, MMASC.

A exposição patente na Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo apresenta uma selecção de desenhos livres, desenhos caricaturais, desenhos de composição autónomos, entre outros. Desde técnicas e temas apresentados em apenas um ou dois exemplares (os Galgos, de algumas paisagens, retratos e desenhos cubo-futuristas, por exemplo), como outros que originaram a criação de conjuntos, como é o caso dos originais do seu álbum XX Dessins, um dos grandes contributos para a divulgação e reconhecimento de Souza-Cardoso em Paris, em 1912.

Mesmo com a sua viragem para a Pintura, os desenhos e caricaturas vão ser sempre uma base do seu eu artístico e é por isso isso que esta exposição é importante. Não só podemos ver obras que são pouco conhecidas e que raramente estão em acesso ao público, como podemos perceber como essa vontade de experimentação passou de igual modo por estas expressões artísticas com base no papel e não só pelas suas telas. São trabalhos que mostram exactamente qual a sua base fundadora que o cimentou como um dos génios do modernismo europeu.

Esquerda: vista da secção dedicada aos desenhos de Galgos.
Direita: Amadeo de Souza-Cardoso, Le Bain des Sorcières, desenho nº 10 para o álbum XX Dessins, tinta da China sobre papel, c. 1911-1912. FCG-CAM.

Desenhos e Caricaturas de Amadeo de Souza-Cardoso divide-se em três salas: na Sala Aureliano Lima são privilegiados os desenhos, mostrando vários temas e estilos que trabalhou; na Sala Branca o foco recai sobre a sua biografia e as caricaturas, já em menos quantidade que os desenhos; na Sala Negra há uma projecção do documentário Amadeo de Souza-Cardoso – Le Dernier Secret de l’Art Moderne, de Christophe Fonseca, que nos dá uma visão ampla sobre o trabalho do artista, com entrevistas realizadas em vários pontos e museus do mundo.

Há ainda destaque, na primeira sala, para um desenho atribuído a Amadeo Modigliani, Caryatide, pertencente à Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo. Esta ligação justifica-se, pois Souza-Cardoso e Modigliani, como já mencionado, conheceram-se em Paris e tiveram uma grande relação de amizade, sendo que conviviam e se influenciam activamente. Esta influência mútua é notória nesta parte da exposição, sendo que obra em questão se encontra em diálogo com desenhos de figuras femininas do pintor português.

Esquerda: Amadeo de Souza-Cardoso, Étude du Nu, desenho nº 8 para o ábum XX Dessins, tinta da China e guache sobre papel, 1912. FCG-CAM.
Direita: Amadeo Modigliani, Caryatide, grafite sobre papel, sem data. CMTL-GDM.

Amadeo de Souza-Cardoso, Caricatura de Emmérico Nunes, tinta da China e aguarela sobre papel, 1909. MMASC.

Vítima da epidemia pneumónica que assolou a Europa no final da Primeira Grande Guerra, Amadeo de Souza-Cardoso não teve tempo de experimentar e fazer crescer a sua obra da forma que queria. Incompreendido à altura no seio artístico português, mas aclamado em França, na Alemanha e até nos Estados Unidos, locais por onde estarão algumas obras ainda desconhecidas e que, certamente, só cimentarão o génio artístico que foi Souza-Cardoso.

Podem visitar a exposição até ao dia 17 de Julho, de Terça a Sexta-feira das 9h às 12h30 e das 14h às 17h30, e aos Sábados, Domingos e feriados das 9h às 12h30.
Ainda uma nota para dizer que nos dias 8, 15 e 29 de Maio, às 11h, decorrerão visitas comentadas à exposição, as quais carecem de inscrição prévia através do e-mail gaiacultura@cm-gaia.pt.

Imagem de topo: Amadeo de Souza-Cardoso, Conjunto de Caricaturas com auto-caricatura, grafite, tinta da China e aguarela sobre papel, 1910. FCG-CAM.

2 pensamentos sobre “Desenhos e Caricaturas de Amadeo de Souza-Cardoso | Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s